Central de Atendimento

Parabéns Florianópolis: 345 anos de magia!

A Ilha da Magia está de aniversário no mês de março, no dia 23. E aqui, nós vamos celebrar a cidade contando algumas histórias sobre a cidade!

Florianópolis não é chamada de “Ilha da Magia” por um simples acaso. Além de todo o contato com a natureza, a cidade possui diversas histórias e lendas que justificam o apelido. Quem vive pela região metropolitana de Santa Catarina, com certeza ouviu falar sobre as bruxas da ilha.

Os mais antigos contam que as bruxas costumavam assustar os pescadores, roubar seus barcos e brincavam com seus instrumentos. E quem quer viver na ilha deve pedir licença a elas, pois elas comandam os mares e as atividades naturais da cidade.

A Grande festa!

As lendas citam que as bruxas vivem disfarçadas na população da ilha, e em um momento uma delas resolveu participar de uma grande festa na alta sociedade e gostou tanto que contou para as amigas. Na empolgação, todas elas resolveram fazer uma grande festa sem disfarces. O local escolhido por elas foi à praia de Itaguaçu. Mas pasmem: elas excluíram o Diabo, pois ele fedia e nenhuma delas queria aguentar a sua chatice de ter que beijar o seu rabo como sinal de poder. Em todos os grupos de amigas tem aquela que não consegue guardar segredo e o “coisa ruim” ficou sabendo. No auge da festa, ele as transformou em pedras que ainda estão na praia continental.

Pedras da praia de Itaguaçu são as bruxas festejando, mas sem o diabo, porque ele fede!

 

A Marina da Barra!

Marina era uma moça muito linda: uma morena de olhos verdes, que não tinha medo de tomar banho de mar (um território de homens na época da colonização açoriana). A sua coragem se tornou fofoca, já que ela era a única moça a brincar nas águas salgadas, cantando as músicas populares do momento.

As fofocas aumentaram e ela ficou conhecida por ter pacto com o Diabo e por isso era bruxa e não tinha medo do mar. A moça ficou tão mal falada, que se obrigou a mudar-se para o sul da Ilha. Até que a falação chegou lá, também! Foi quando Marina resolveu vingar-se do povo da Barra e durante as madrugadas, dava nós nas roupas nos varais, bagunçava as redes de pesca e soltava uma sonora gargalhada para amedrontar os moradores.

O povo da Barra muito assustado, resolveu perguntar a uma benzedeira quem fazia as estripulias durante a noite. A velha sábia, sem pestanejar, apontou para Marina, que foi expulsa da ilha. Saindo de lá, ela rogou uma praga: “o povo da Barra vai desaparecer!”.

A Joaquina!

Nem só de bruxas más vivem as lendas da ilha. A praia da Joaquina tem esse nome por uma história de amor muito triste.

A moça Joaquina era muito bela, e destacava-se pela sua beleza. Ela teve uma triste vida, já que perdeu seus todos seus parentes no mar, pois eram pescadores e o mar da região é muito violento. Ela tinha era apaixonada por um rapaz da sua região, e sob juras de amor ela pediu para que ele parasse de ir ao mar, pois ela não queria perder mais uma pessoa amada. Ele prometeu que aquela seria a última vez, e de fato foi! Ele ficou ao mar, e ela muito triste andava pelas dunas da Lagoa da Conceição até a praia que recebeu seu nome. Por fim, definhou na tristeza de sua solidão e morreu na praia.

 

 

 

Fonte
Vivendo Floripa – Historia e Manifestacoes Culturais
Viajei Bonito – Florianopolis as lendas da Magia da Ilha
Clicrbs – Bruxas sao Personagens do Folclore de Florianopolis
Fonte Imagens
Expedia – Joaquina
Tripadvisor – Itaguaçu